quarta-feira, 15 de abril de 2009

Oh dúvida cruel...

Algumas perguntas me assaltam de vez em quando. Quem souber as respostas me avise :

1. Por quê é que todas as saídas de emergência de prédios são escadas? Pessoas com cadeiras de rodas não são inflamáveis em caso de incêndio?

2. Por quê empresas que arrotam responsabilidade social ameaçam tirar suas fábricas do Vietnã só porque o salário mínimo de US$59 aumentou 10 dólares?

3. Por quê os elevadores tem o painel de andares em braille, mas não tem alto falante para anunciar onde estão? Pessoas cegas podem saber para onde ir mas não podem saber que chegaram lá?

4. Por quê as escolas dão aulas de educação ambiental defendendo as florestas, mas escolhem material didático descartável gastando um monte de papel à toa?

5. Por que os autores de livros defendem a liberdade de difusão de informação, mas tem arrepios quando alguém fala de livro digital?

6. Por que é que os defensores da inclusão responsável não assumem a responsabilidade quando as pessoas que "educaram" de forma tão especial por 20 anos não sabem ler e escrever?

Descrição de imagem : três meninos conversando sobre um quarto que está longe, dizendo: "Não vamos deixá-lo entrar para a turma : soube que ele é preconceituoso!"

6 comentários:

Cristiana Soares disse...

engraçado. eu tb tenho as mesmas dúvidas...

Arimar disse...

Fábio.
Você é antes de tudo um grande "provocador", e como diz o ditado popular:Gosta de cutucar a onça com vara curta".
Não que eu me ache onça, pantera, ou qualquer outra fera. Longe disso. rs rs. Mas lá vai:
Por quê alunos com deficiência,que dizem incluídos não fazem as avaliaçôes institucionais, e quando a fazem , a nota não entra no compto?Será por causa do Ideb?
Por quê ainda existe a fala "não estamos preparados"?
Por quê algumas escolas só aceitam alunos deficientes com laudo, diagnóstico?Será que os pais também não teriam o direito de exigir atestado de antecedentes?
Tenho mais mil dúvidas ainda, mas vou parar para deixar espaço aos demais leitores.
Beijos.
Arimar

Christiane Forcinito Ashlay Silva de Oliveira disse...

Fábio

Obrigada...

Mais abaixo em outro texto deixei um comentário e um pedido.

Abraço.

Chris.

Rita Amaral disse...

Porque coerência é algo que não se exige em nosso país. É que a coerência não pode ser separada da honestidade, de modo que...

Adorei a charge!

Wilson disse...

É, Fabio. "Cada um puxa a sardinha para o seu lado". Ou podemos dizer que é a lei onde prevalece quem pode. Outro dia fui a uma igreja no qual pediram para ficar na frente. Muito carinhosos alegaram que poderia assistir o culto melhor. Mas, digo "mas", alegaram que num caso de emergência poderia ser "atropelado" pela massa assustada. Indaguei-lhes dizendo: "Se eu ficar lá na frente, quem irá me socorrer se todos sairam às pressas?" Não há resposta quando a emoção fala mais alta que a razão.
Valeu pelo texto.

Julia disse...

Ola, tudo bem? estou fazendo uma monografia com o tema sobre a inclusao de pessoas com deficiencia na publicidade e propaganda, estou na fase de pesquisas... na verdade ja escrevi um artigo cientifico sobre isso, mas infelizmente cada vez mais a bibliografia se afunila e quase nao vejo luz no fim desse tunel deficiente. Gostaria de inclui-lo como fonte dos meus trabalhos, so tem um probleminha... para citar voce preciso saber quem eh vc. eh...desculpa a intromissao,sao so esses chatos dados tecnicos que podem emperrar um trabalho que ja venho desenvolvendo a alguns anos desde que conheci meu marido...que redundantemente possui a ausencia de uma perna..rsrs. meu email para contatos: senatoreju@yahoo.com.br.Obrigada